#my{ zoom: 100%; }

1001 livros para ler antes de morrer

Lista com 1001 livros bastante recomendados

Poemas Políticos

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

Teatro: Hamlet

Hamlet é uma das peças de teatro mais famosas de Shakespeare. Foi escrita entre 1600 e 1602 e impressa pela primeira vez em 1603.

Filme: Jogo de Cena

Atendendo a um anúncio de jornal, oitenta e três mulheres contaram suas histórias de vida num estúdio.

A Internacional

De pé, ó vitimas da fome. De pé, famélicos da terra

sábado, 21 de janeiro de 2012

Fórum Social Mundial 2012





Fonte


Já está disponível o caderno de programação do Fórum Social Temático 2012.

O arquivo em pode ser baixado ou impresso a partir do sítio do evento.

O FST 2012 terá mais de 900 atividades, entre palestras, oficinas, seminários, shows e apresentações artísticas.

A programação do Fórum engloba as quatro cidades sedes: Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo.
 
As tabelas indicam dia, horário e local de cada atividade, mas não as salas específicas para cada atividade em cada local onde será realizado o evento.

A informação sobre as salas específicas de cada atividade será postada no sítio fstematico2012.org.br até o início do FST 2012 e também haverá orientadores em cada local indicando as salas de cada atividade.

Consulte agora o Caderno de Programação.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Ônibus hacker invade o Rio de Janeiro

Ciberativistas armam tenda no Festival Internacional Cultura Digital.Br, que começa nesta sexta com participação de Gilberto Gil 

Por: Carlos Minuano, especial para a Rede Brasil Atual

Publicado em 02/12/2011, 16:15
Última atualização às 16:43
 


Foram cerca de nove horas de estrada da Casa de Cultura Digital até o Rio de Janeiro (Foto: Bruno Fernandes)


Rio de Janeiro – Um novo conceito de invasão hacker acaba de ser colocado em curso, literalmente. Um ônibus todo grafitado, com dezenas de ativistas do grupoTransparência Hacker partiu na tarde de quinta-feira (1º) do centro de São Paulo rumo ao Rio de Janeiro, mais exatamente para a terceira edição do Fórum de Cultura Digital. A reportagem da Revista do Brasil embarcou junto. Após duas edições na Cinemateca em São Paulo, o evento chega agora ao Rio, repaginado e com novo nome: Festival Internacional Cultura Digital.Br. O encontro começa nesta sexta-feira (2) e segue até domingo (4), no MAM (Museu de Arte Moderna) e no Cine Oden Petrobras.

Foram cerca de nove horas de estrada da Casa de Cultura Digital, sede do bando hacker em São Paulo, até a cidade maravilhosa. Sem problemas. O violão não parou de tocar no fundo do veículo, clima de festa hippie. Mas o objetivo dos jovens ativistas do Transparência Hacker vai bem além de reunir a turma e cantarolar estrada afora. A proposta da comunidade, que já tem mais de 800 integrantes conectados em uma lista virtual, é construir um novo jeito de fazer política. Mais aberto e participativo. A receita é simples: dados públicos, ferramentas de software e muitos braços e mentes da sociedade civil.

A turma, composta por gente de todos os tipos e idades, existe desde 2009. Começaram clonando o blog do planalto [planalto.blog.br] para criar uma versão com espaço para comentários, depois não pararam mais. Foram atrás de doações de campanhas eleitorais, trâmites de autorização de rádios comunitárias, entre outros. Outra hackeada que chamou a atenção foi a do serviço de reclamações da Prefeitura de São Paulo [sacsp.mamulti.com].

Por meio de uma planilha no Google, usuários podem identificar de onde eram originadas as solicitações e acompanhar a resposta – ou a falta dela. Em resumo, a proposta é justamente essa, tornar acessível de fato informações de interesse público, que ficam quase sempre ocultas em portais de transparência.

“Além da dificuldade de localizar os dados, quando se chega a eles não é possível analisar as informações”, explica Pedro Markun, ciberativista e um dos fundadores do Transparência Hacker. Comprar um veículo próprio foi uma das formas que encontraram para levar essas ideias e ações para todos os cantos do país.  “Em vez de invadir sites ou redes de computadores, vamos invadir municípios brasileiros para realizar oficinas e debates sobre transparência pública”, conta Daniela Silva, cofundadora da comunidade e parceira na empreitada hacker.    

O ônibus adquirido pelo Catarse, plataforma virtual de financiamento colaborativo, que ficou conhecida como ‘vaquinha online’, já se encontra estacionado no MAM. Ao lado dele uma tenda está armada para sediar a participação do grupo no festival. Como já é de costume entre eles, a programação é livre, construída por todos. Quem quiser participar é só chegar.

O Festival de Cultura Digital traz uma programação diversa que inclui debates, exposições, shows e oficinas. Entre os destaques, palestra de Kenneth Goldsmith, fundador do repositório de arte online Ubuweb, teleconferência com o escritor, Paulo Coelho e apresentação dos trabalhos do Dulcineia Catadora (coletivo de artistas e catadores de matérias recicláveis). Em comum, a reflexão acerca da cultura digital no Brasil e no mundo.

Abre o evento na noite desta sexta um debate com Yochai Benkler, professor de Direito na Universidade Harvard e codiretor do Centro Berkman para Internet e Sociedade Civil. A conversa será mediada por Gilberto Gil, anfitrião do evento.

Serviço

Festival de Cultura Digital
Data: Desta sexta-feira (2) a domingo (4)
Local: Museu de Arte Moderna (avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo)
Fone: (21) 2240-4944
Cine Oden Petrobras
Local: Praça Floriano, 7, Cinelândia
Fone: (21) 2240-1093
Entrada Livre

Postagens populares